Projetos aprovados no Edital 2016 e em execução em 2017

GRUPOS E COMPANHIAS

  • GRUPO CORPO
    Foto: José Luiz Pederneiras

    GRUPO CORPO

    Benguelê é uma exaltação ao passado africano e às suas marcantes e profundas raízes na cultura brasileira. Riscando do palco, sem nenhum pudor, qualquer vestígio da técnica clássica - que, no entanto, presente na formação dos bailarinos, dá suporte à complexa coreografia -, o coreógrafo evoca, do início ao fim, ritmos afro-brasileiros como o maracatu, o candomblé e o congado. Anarquia e frenesi substituem a simetria e a ordem dos bailarinos em cena. Pas-de-deux e fouettés dão lugar a batidas de pé, remelexos de quadril, ombros e pélvis. A diversidade rítmica ganha vida ao som da música inspirada do compositor, cantor e violonista João Bosco. São onze temas - especialmente criados como a música-tema Benguelê, ou recriados como o chorinho 1x0 de Pixinguinha, ou Tarantá e Carreiro Bebe, do folclore. Ora festivos, ora ritualísticos, os movimentos sugerem danças tribais, onde a representação de figuras humanas, vergadas pelo tempo, ou animalizadas, pontuam o espetáculo.

    www.grupocorpo.com.br

FESTIVAIS

  • MIMULUS E SUA ESSÊNCIA
    Foto: Guto Muniz

    MIMULUS E SUA ESSÊNCIA

    O projeto "Mimulus e sua Essência" destina-se à circulação dos espetáculos da Mimulus Cia de Dança com apresentações especialmente desenvolvidas para a formação de público entre escolares e a formação de novos artistas. A proposta contempla também a formação de técnicos e de difusores da linguagem peculiar do grupo. Suas atividades se estendem, a partir de sua sede em Belo Horizonte (MG), por uma rede nacional e internacional construída em seus 24 anos de caminhada.

    www.mimulus.com.br
  • MOSTRA BENJAMIN
    Foto: Bruno Magalhães

    MOSTRA BENJAMIN

    MOSTRA BENJAMIN DE OLIVEIRA – EDIÇÃO DANÇA. A mostra contará com uma curadoria especializada que selecionará trabalhos de dança que dialoguem com a cultura afro-brasileira contemporânea ou tradicional e tenham elenco formado predominantemente por artistas negros. A mostra contará com espetáculos e atividades formativas, terá duração de duas semanas e oferecerá entrada gratuita ou a preços populares.

    burlantins.com.br/benjamin/a-mostra-2
  • CIA MÁRIO NASCIMENTO
    Foto: Marcos Aurélio Prates

    CIA MÁRIO NASCIMENTO

    A companhia sediada em Belo Horizonte (MG) é uma forte referência em dança contemporânea no Brasil e, em 2016, completa 18 anos de existência. Criada pelo coreógrafo e diretor Mário Nascimento e pelo compositor Fábio Cardia. Seu mais recente espetáculo é “Garrafa Enforcada”, livremente inspirado no livro de Câmara Cascudo “História dos nossos gestos”.  A obra surge de uma pesquisa sobre os trejeitos do povo brasileiro, das pessoas comuns, sua maneira de se vestir, de andar, de gesticular e de se manifestar. A Cia Mário Nascimento traz aqui o desafio de dançar os gestos brasileiros, na constante busca de sua identidade. 

    www.marionascimento.com
  • FASE + SUJEITO MIDIÁTICO - CONEXÃO SUDAMÉRICA
    Foto:José Eduardo Toral Mancheno (José Toral)

    FASE + SUJEITO MIDIÁTICO - CONEXÃO SUDAMÉRICA

    O programa Dança Contemporânea Multimídia em Circulação surge do encontro entre Vanilton Lakka e os equatorianos Cristina Baquerizo e José Toral. É composto pelas performances “Fase” e “Sujeito Corpóreo - Corpo Midiático”, pelas propostas pedagógicas “Oficina de técnicas de solo” e “Laboratório de experimentação sonora com dança e tecnologia” e pela oficina “Conexões entre Danças Urbanas e Dança Contemporânea”.

    www.lakka.com.br